• Everton Silva

Como viajar com pets na cabine do avião

Precisei viajar e não tinha ninguém para deixar a minha cachorrinha, e iria viajar de qualquer forma para Brasília. Foi onde tive que tomar a decisão de levar a Luna comigo.


Eu só não sabia que essa decisão ia me direcionar pra uma gincana de cuidados, burocracias e até mesmo medos, pra conseguir fazer com que tudo saísse da melhor forma possível tanto pra mim, quanto pra Luna pra que ela pudesse viajar comigo na cabine do avião.


Trâmites com a Cia Aérea

Primeiramente eu tive que consultar as cias aéreas sobre as regras e valores, pra decidir qual eu utilizaria pra fazer essa viagem.


Ligando em todas, eu descobri que iria precisar de um certificado do veterinário atestando que está tudo ok e que ela tanto não corria risco, quanto não apresentava nenhuma ameaça aos demais passageiros, com 10 dias de validade para que a Luna pudesse embarcar. As vacinas teriam que estar em dia, e eu precisaria providenciar a caixa de transporte no padrão da cabine de aviões.


Pelo preço, acabei por optar pela Latam, que cobra R$200,00 por trecho. A Gol e Azul cobram R$250,00. E a única que parcela essa tarifa é a Azul.

A cobrança é feita no guichê do aeroporto e não tem possibilidade de parcelamento ou inserir no valor total da compra quando emitir sua passagem.


O primeiro passo depois de emitir a minha passagem, foi ligar no call center da cia e informar da inclusão do pet na minha reserva. É como se você reservasse esse adicional antes, mas pagasse depois. Isso é mandatório pra que eles tenham um controle antecipado de quantos bichos serão transportados no mesmo voo, por terem um limite.

Essa ligação é ótima pois o atendente inclusive tira várias dúvidas que você possa vir a ter, e te orienta dos próximos passos.


Trâmites com o Hotel

É comum hoje encontrarmos na descrição dos sites de reserva de hotéis, se aquele que estamos pesquisando é ou não Pet Friendly.

Mas mesmo os que dizem aceitar animais, podem ter suas particularidades e restrições. Como por exemplo: tamanho, espécie, e principalmente as vacinas e vermifugação.


Preparação e consulta com veterinário

Feitas as reservas, foi a hora de providenciar a bolsa de transporte da Luna. Eu optei pela bolsa por ser maleável e garantir que se a altura (que é padrão) não batesse com o espaço debaixo da poltrona, ela se espremesse um pouco. Sem contar que em todas as referências que procurei, as maleáveis foram recomendadas por conforto do bicho e por ter uma chance de não ser barrado pela altura.



Depois disso, o próximo passo era passar na consulta com o veterinário.

Nessa consulta você precisa focar em deixar as vacinas obrigatórias pra voar e entrar em hotéis em dia, e obviamente pedir todos os exames que garantam que seu pet não vá sofrer com o voo.

No caso da minha Luna que é uma Shitzu, por ser um cão braquiocefálico (focinho achatado), eu enchi o veterinário de questionamentos mesmo. Pois não poderia correr o risco dela passar mal com a altitude e ele fez todos os exames necessários tanto pra atestar quanto pra me tranquilizar de que seria seguro viajar com ela.

O ideal seria você pedir ao veterinário que imprima e assine 2 vias, porque algumas cias retem o atestado no momento do check in.


Outra coisa são as vacinas obrigatórias que são as V10 e Rábica. Você vai precisar apresentar a carteirinha no balcão do check in para comprovar que seu animalzinho não represente risco algum.


No Aeroporto

Você obrigatoriamente vai ter que realizar seu check in no balcão, e vai acertar a taxa por lá mesmo. Na Azul você já pode pagar (inclusive parcelado) tanto pelo app quanto pelo call center, mas mesmo assim terá que ir ao balcão pra apresentar a documentação e a bolsa de transporte que deve ser autorizada para embarque por causa das medidas.


Feito isso, meu conselho é que você passeie nas áreas permitidas do aeroporto com o seu pet para que ele estique as pernas e também possa fazer suas necessidades e até mesmo entenda aquele momento como um passeio. Isso vai ajudar a aliviar o estresse.

Leve alguns petiscos (de preferência os calmantes) para dar ao bichinho durante o voo. Não só vai ajudar a aliviar a fome, mas também vai te ajudar a acalmá-lo com o gesto de estar sendo recompensado.


Durante o Voo

Tenha em mente que sua poltrona será sempre a da janela caso você esteja viajando com seu pet, pois isso garante que ninguém se sinta incomodado em ter que passar pela bolsa/caixa de transporte. E o que é instruído durante todo o voo é que a bolsa fique abaixo do assento em frente ao seu. Assim como fazemos com as bolsas de mão.


Em alguns momentos eu pego a bolsa da Luna e tiro a cabeça dela pra fora no meu colo, só pra garantir que ela esteja bem... mas nada que ultrapasse 1 minuto. É só por uma questão de preocupação mesmo. Se o seu cachorro estiver dormindo, aproveite e faça o mesmo. Porque a regra é clara e pede que você não retire a bolsa de transporte debaixo da poltrona em nenhum momento.


De resto é só aproveitar a viagem e fazer com que esse momento seja o menos estrassante possível para o seu bichinho.




0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
Park Guell
parque-el-retiro-madrid
Castelo Sforcesco
IMG_1739_edited
Central Park
Museu do Amanhã
Miami Beach
IMG_4505_edited
Paris
Lisboa
IMG_1773
Sobre Mim

✈ World Traveler

♉ Taurino - Nascido em 1988

 English, Spanish and Portuguese spoken

📍São Paulo - Brasil

🐶😺 Amo animais

 

Leia Mais

12924473_1124827837567708_11127484166396

© Pra onde ir agora?