Termos úteis do Turismo

September 6, 2017

Quem nunca se deparou com uma situação em que mostrar que entende pelo menos um pouco do que está falando, faria toda diferença para sair de um aperto em uma viagem?

Falo isso porque eu mesmo várias vezes me vi querendo dar uma de entendedor, e hoje sei que se soubesse me comunicar com a mesma língua de quem me atendia, eu teria com certeza conseguido me colocar em uma posição pelo menos inibisse me passarem a perna! 

Ou pelo menos iria ajudar eu não ter feito uma reserva errada por achar que uma nomenclatura significasse uma coisa, e fosse outra totalmente diferente.

As pessoas que trabalham no turismo e hotelaria geralmente são extremamente prestativas e empáticas acima de tudo. Mas nada melhor do que você falar um pouco a língua deles para poder garantir um atendimento mais atencioso. 

 

Pra ajudar vocês com isso, fiz um apanhado dos termos mais utilizados e os seus significados:

 

- PAX

Esse é o essencial para saber. PAX é a sigla utilizada para se referir ao passageiro. Ou seja, nós! :) 

 

- Early Check In

Quem nunca comprou um voo que chegasse no destino super cedo, e por causa disso teve que ficar no saguão do hotel até o horário do check in que geralmente é 14h00. 

Alguns hotéis e resorts têm uma política mais flexível com relação a entrar antes do horário do check in, e se com antecedência você solicitar ao setor de reservas do hotel que irá ficar um EARLY CHECK IN, pode garantir um quarto pronto esperando por você logo quando chegar no hotel. E o melhor de tudo... sem custo extra!

É importante salientar que mesmo com a maioria dos hotéis sendo flexíveis com essa solicitação, o cumprimento será sempre sob disponibilidade. Hotel nenhum vai expulsar um hospede que ainda está no horário para acomodar você. Portanto o negócio é contar com a sorte!

 

- Late Check Out

Mesma coisa para a situação contrária. Você está no seu último dia de hospedagem, e percebe que seu voo é à noite ou bem mais tarde do que o horário padrão de check out (geralmente 12h00).

Existe a alternativa de não ter que mofar no aeroporto o resto do dia inteiro, e nem largar suas malas na recepção para ficar rodando a cidade com aquela sensação de estar "sem teto" só para passar o tempo. 

Solicitando com antecedência o Late Check Out, você tem a possibilidade de permanecer no quarto até o horário que pretender ir ao aeroporto. 

Essa vantagem nem sempre será gratuita. Isso porque para deixar você lá o hotel talvez tenha que deixar de vender o quarto. Mas pedindo com antecedência e em dias  tranquilos existe a possibilidade sim. No mínimo você vai ser cobrado uma taxa de "meia diária" que acaba por ser justo, visto que você as vezes precisa de fato ficar praticamente metade do dia. 

A dica é pedir com antecedência (de preferência antes do check in) para garantir. 

 

- Day Use

E se você precisar de um lugar confortável para tomar um banho, passar algumas horas do dia, relaxar e depois seguir para o seu destino? Tudo isso menos passar a noite. 

Essa possibilidade existe também e é mais comum do que você imagina. É o chamado Day Use que os hotéis oferecem com uma tarifa muitas vezes inferior ao valor da diária regular, pois no Day Use você pode passar o dia no hotel, utilizar todas as suas comodidades, mas não vai poder passar a noite. Essa é uma opção excelente para quem está em uma conexão com longa espera e não quer ficar plantado no aeroporto o dia inteiro. 

 

- No Show

Quem viaja bastante, sabe que pode chegar ao ponto de ter que deixar de ir ou perder o horário de entrada tanto do voo, quanto da hospedagem. Imprevistos sempre acontecem e o que nós sempre temos que ter consciência é da política de NO SHOW (que quer dizer Não Aparecer) do que você está reservando.

Algumas simplesmente dão com os ombros caso você não apareça, mas há as que irão te cobrar uma multa, não te reembolsarão, ou nem ao menos te deixarão com um crédito. 

Caso não consiga aparecer, nem sempre tudo está perdido. Verifique as condições e as políticas.

Em casos de viagens nacionais, será mais fácil não sair totalmente no prejuízo. Já as internacionais, não tem como garantir muito não! 

 

- Irrevogável

Sempre que você for reservar alguma coisa referente à sua viagem, certifique-se se essa reserva tem prazo de cancelamento após a emissão, ou é irrevogável. Se for, significa que você não será capaz de fazer nenhuma alteração muito menos cancelamento caso precise. 

Em casos de emissões nacionais, você ainda é amparado pelo CDC que garante seu arrependimento em até 24h, mas nas internacionais você pode não contar com essa flexibilidade e ter que arcar com todo o custo mesmo tendo desistido com muita antecedência da viagem. 

Tarifas irrevogáveis geralmente são mais baratas que as que têm prazo de cancelamento, por isso muitas vezes as pessoas se confundem ou tentam burlar a regra ignorando que ao pagar mais barato já estavam abrindo mão do benefício do cancelamento ou alteração. 

 

- Last Minute

Essa é uma tarifa muito atrativa e geralmente procurada por quem vai emitir uma reserva na última hora antes de viajar. Trata-se geralmente das vagas que sobraram no voo ou no hotel que precisam ser vendidas e a aérea ou hotel disponibilizam por um valor bem mais barato. 

Nunca conte com a Last Minute porque ela pode não acontecer, e ao invés de pagar mais barato você vai se deparar com uma tarifa muito mais cara do que o que estava sendo oferecido anteriormente. 

 

- Tarifa Balcão

Como o nome mesmo já sugere, são tarifas oferecidas nos balcões dos hotéis. Essas tarifas geralmente são mais caras, as vezes mesmo com entrada para o mesmo dia, você consegue mais barato comprando com um intermediário do que pagando direto no balcão. 

 

- Overbooking

Tanto o voo quanto o hotel podem se encontrar em situação de Overbooking, que é quando estão com todas as suas vagas reservadas. As vezes por uma situação de sistemas que não se comunicaram, o serviço pode ficar superlotado e ter algumas pessoas em gordura sem a possibilidade de acomodá-las. 

 

- Minimum Stay

Tempo mínimo que você tem que ficar no destino. Se aplica tanto para passagens aéreas, quanto para reservas de hotéis e resorts.

 

- Regimes de Alimentação

 

Bed and Breakfast ou BNB - regime que inclui apenas cama e café da manhã

Meia Pensão - regime que inclui café da manhã e jantar

Pensão Completa - regime que inclui café da manhã, almoço e jantar

All Inclusive - regime que inclui absolutamente tudo que o estabelecimento oferecer durante a sua estadia

 

- Configurações de Quartos

 

Single - quarto que acomoda apenas 1 hospede. Nem sempre a cama é de solteiro, mas se reservar um desses já pode esperar uma

Twin - quarto que acomoda duas pessoas em duas camas iguais

Double - quarto que acomoda 2 pessoas. É o quarto de casal e a cama vai sim acomodar você e quem te acompanhar

 

- Alfabeto Fonético 

Agora vou deixar uma dica aqui que depois que levei a serio e decorei, dei aquela gourmetizada na minha comunicação com os atendentes das aereas e hotelaria. O alfabeto fonético do turismo! É o mesmo para o mundo inteiro, e vai garantir que você não soletre um código de reserva com as o abecedário da Xuxa! 

 

Então aí vai:

 

A - Alpha

B - Bravo

C - Charlie

D - Delta

E - Echo

F - Fox(trot)

G - Golf

H - Hotel

I - India

J - Juliet

K - Kilo

L - Lima

M - Mike 

N - November

O - Oscar

P - Papa

Q - Quebec

R - Romeo

S - Sierra

T - Tango

U - Uniform

V - Victor

W - Whisky

X - X-ray / Xadrez

Y - Yankee

Z - Zulu

 

Aproveitem e usem esse conhecimento, porque tudo que eu coloquei aqui me ajudou e ajuda até hoje em diversas situações ao planejar, tratar ou cancelar questões de uma viagem. 

 

Caso tenham dúvidas, é só deixar nos comentários.

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Você também pode gostar:

O que não passa no Raio X do aeroporto?

November 7, 2019

O que fazer em Londres - £ COM PREÇOS £

October 30, 2019

1/2
Please reload

Sobre Mim

✈ World Traveler

♉ Taurino - Nascido em 1988

 English, Spanish and Portuguese spoken

📍São Paulo - Brasil

🐶😺 Amo animais

 

Leia Mais

12924473_1124827837567708_11127484166396

© Pra onde ir agora?